Notícias

Os tambores do congado e do jongo se uniram nessa terça-feira, 24, para lutar por políticas públicas de incentivo e preservação da cultura popular na conferência Vozes da Comunidade e a Cultura Popular na Cidade, um dos eventos do 30º Inverno Cultural UFSJ. A programação do festival ainda abre espaço para o congado durante o Cortejo de Encerramento, no domingo, 29, às 16h, saindo do Largo do Rosário.

Sentado em uma banqueta de pianista, de costas para a plateia, Ian Guest desliza seus braços e dedos pelo ar, regendo o quinteto de músicos que o acompanham. O recital Aventuras de Lápis e Borracha: Música Popular Camerística leva o público a velejar pelo vasto oceano da obra do mestre, desbravado a cada uma das 15 canções que compõem o repertório.

Depois de sambarem ao som de Ísis Ferreira e seus boêmios, o público presente na segunda noite de shows do 30º Inverno Cultural UFSJ conferiu no Palco Matosinhos a conexão sulista entre África e Brasil com a banda SULSOUTH e seu repertório “de mistura”. A dupla presença da palavra “sul” no nome do grupo carrega a origem dos músicos e da própria banda.

Anunciando a chegada do último fim de semana do 30° Inverno Cultural, a programação do festival retorna ao palco do Matosinhos com rock (Devise) e música brasileira (À Rita) influenciada também por ritmos latinos e africanos. Nos campi da UFSJ, a música regional dá o tom no Campus Santo Antônio (Ludianjo) e o teatro (Espectador em cena), no Ctan.

Entre copos, versos e amigos. Foi assim que o sarau Poesia com Cachaça tomou conta do Barteliê na última segunda-feira, 23, pelo 30º Inverno Cultural UFSJ. Localizado, como uma grata coincidência, na rua que leva a mesma bebida no nome, o ponto boêmio abriu as portas para uma jornada poética.

A noite fria de segunda-feira, 23, e a distância que separa o centro de São João del-Rei do Campus Tancredo Neves não espantou o público. Aos poucos, a Sala Preta foi se enchendo de olhares curiosos para um cenário diferente. O tapete preto no chão recebeu linhas amarelas, remetendo a uma estrada. A iluminação restringia o campo de visão. Disparada por uma sirene, a luz vermelha contornava a silhueta de dois personagens. Era a Maratona de Nova York começando.

O sexto dia de Inverno Cultural tem teatro, concerto, poesia, conferência e, claro, atividades infantis. O Palindrum, em seu show, apresenta o instrumento hang drum. O Ctan recebe os espetáculos Causos Enredados, Morada e a conferência Figurinos em Ação. Para fechar a quinta-feira, uma noite com muita poesia no (Des)encontro (des)marcado

“Não há nada mais poderoso do que uma mulher que foi destruída e se reconstruiu”. É a partir dessa reflexão que a exposição Penso, logo resisto, idealizada pelas integrantes do Jornal Delas, propõe o debate sobre feminismo e representação da mulher na mídia, em evento do 30º Inverno Cultural UFSJ.

Levar os participantes a experienciar a cultura afro-brasileira: essa foi a proposta da oficina Quem Tem Medo de Preto, ministrada pelo aluno do curso de Teatro Zilvan Lima, entre os dias 24 e 25 de julho como parte da programação do 30º Inverno Cultural UFSJ. Entre as atividades, os jogos de sensibilização e, claro, conversa sobre o tema.

A programação infantil do 30º Inverno Cultural UFSJ traz para as crianças atividades lúdicas, que auxiliam a descoberta do mundo ao redor e a percepção de si mesmo e da relação com os outros. Entre as opções de afazeres estão o manuseio de argila e sucata, a criação de vídeos e o resgate de brincadeiras tradicionais.

Uma mesa, duas cadeiras e uma placa que diz: “Me conte sobre algum dia”. É com esses elementos que a exposição Diário coletivo de “In”significâncias começa a ganhar forma, prometendo ilustrar e ressignificar narrativas de si. A proposta do artista Bruno Novaes é recolher histórias dos transeuntes que passam pela ponte em frente ao Teatro Municipal de São João del-Rei, onde ele está fixado.


Universidade Federal de São João del-Rei
Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários
1988-2019 © Todos os direitos reservados